Notícias

Volume de soja certificada pelo Programa 3S cresce 11% com adesão voluntária de novos produtores

Iniciativa da Cargill promove sustentabilidade em cerca de 600 mil hectares de soja no Brasil

Foto: Arquivo Instituto BioSistêmico

O Programa 3S, criado pela Cargill em 2010, aumentou em 11% o volume de soja certificada no Brasil na safra anterior. O dado acaba de ser divulgado pela empresa que já iniciou o pagamento de taxa adicional por tonelada de soja inscrita no programa. Cerca de 55% do lucro líquido obtido pela Cargill com as vendas será destinado ao pagamento do prêmio aos produtores, de acordo com sua categoria no programa e volume certificado entregue.

Ao todo, 231 fazendas participaram do programa ao longo da safra 2020/2021 e, quando somadas, correspondem a cerca de 600 mil hectares em seis estados brasileiros: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rondônia e Pará. Neste ano, 175 produtores que comercializam a soja 3S receberão o prêmio. Além da bonificação extra, eles contam com a assistência do IBS (Instituto BioSistêmico), parceiro implementador do Programa 3S (Soluções para Suprimentos Sustentáveis).

O aumento do volume certificado está alinhado com uma série de atividades que a Cargill tem desenvolvido para apoiar uma cadeia produtiva livre de desmatamento e uma produção cada vez mais sustentável. A partir de visitas regulares e apoio técnico do IBS, o Programa 3S verifica cinco principais pontos: uso sustentável do solo, Boas Práticas Agrícolas (BPAs), relações com a comunidade & Direitos Humanos, melhoramento contínuo e emissão de gases de efeito estufa.

O produtor Nilson Aparecido Forastieri é um dos inscritos no programa. Fornecedor de soja para a Cargill desde 1990, ele aderiu ao programa de forma voluntária em 2016 e passou a receber acompanhamento técnico para desenvolver um plano de ação focado na sustentabilidade da produção. A partir do Programa 3S foram implementadas melhorias como construção e adequação de estruturas da propriedade, incluindo depósitos de embalagens e de defensivos agrícolas, alojamento dos funcionários e do posto de abastecimento dos tratores usados na fazenda.

“Quem está de fora da porteira consegue enxergar pontos de melhoria em nossa propriedade que muitas vezes nós, que estamos dentro do negócio e ocupados com a lida diária, não conseguimos”, comenta Nilson que produz em Diamantino (MT) há 28 anos. Ao analisar o valor adicional concedido pela certificação, ele destaca que é um importante incentivo: “A bonificação é revertida para a propriedade, o que impulsiona a implementação de melhorias contínuas, impactando toda a cadeia produtiva”.

Na palma da mão

O 3S é um programa de melhoramento contínuo voltado para sustentabilidade das fazendas produtoras de soja e que permite aprimorar indicadores sociais, ambientais e produtivos. As propriedades que participam do programa cumprem requisitos básicos como a Moratória da Soja, compromisso assumido pelo setor para alcançar desmatamento zero após 2008, entre outros avanços.

O programa é reconhecido pela The European Compound Feed Manufacturers’ Federation (FEFAC), entidade que representa associações nacionais em 24 estados-membro da União Europeia. “Promover a sustentabilidade faz parte do nosso compromisso com uma cadeia produtiva cada vez mais transparente. Reconhecer o produtor certificado é parte essencial nessa jornada que inclui valores adicionais para quem implementa voluntariamente as melhores práticas de sustentabilidade na produção de soja que alimenta o mundo cada vez mais urgentes e essenciais”, comenta Renata Nogueira, gerente de Sustentabilidade da Cargill.

Em 2022, os produtores rurais ganharam um aplicativo que ajuda a monitorar os índices e avanços dentro da propriedade. O app Soja 3S pode ser baixado para celulares Android e iOS. Entre os próximos passos do 3S está a expansão para outros cultivos como milho e algodão, além da busca constante por outros sojicultores e maiores volumes de soja certificada no País.

, , , , ,

Voltar ao topo