Programa 3S leva inovação à tradição centenária da família Forastieri e favorece melhores resultados

Atendida pelo Instituto BioSistêmico no Programa 3S da Cargill, a família Forastieri recebe orientação para implementar práticas sustentáveis na produção de soja

Registro das três gerações de agricultores na lavoura da família no Mato Grosso.

A tradição da família Forastieri com a produção agrícola ultrapassa gerações e continentes. “Nossos bisavôs vieram da região da Calábria, na Itália, e se estabeleceram no interior de São Paulo para lidar com o café”, relata o produtor Nilson Aparecido Forastieri, que deu continuidade à tradição familiar e já é a terceira geração a trabalhar na lida com a terra. “A agricultura está no nosso DNA”, expressa.

Após um período no interior paulista, os Forastieri migraram para o Norte do Paraná, nos anos de 1930, para abrir picadas no mato e cultivar a terra roxa lá existente. “Como toda família apaixonada pelo agro, expandimos raízes para o Noroeste do Paraná, ainda com o cultivo do café. Após a geada negra de 1975, iniciamos o cultivo de soja, milho e trigo, ainda no Paraná”, relembra Nilson.

Foi a partir dos anos de 1980 que as raízes se expandiram ainda mais, ultrapassaram a fronteira paranaense e se fixaram nas terras promissoras do Mato Grosso do Sul, inicialmente na cidade de Sonora. A partir de 1994, passaram a cultivar as terras da Chapada dos Parecis, no município de Diamantino (MT). “Agora em 2022, completamos exatos 28 anos no Mato Grosso”, ressalta o produtor.

Ao longo de quase um século de produção agrícola, os Forastieri acompanharam as revoluções do campo, com os avanços das formas de produção e a consolidação dos mercados internos e externos. A experiência adquirida possibilitou que, a partir dos anos de 1990, os Forastieri passassem a fornecer soja para a Cargill.

Aperfeiçoamento sustentável

Essa parceria de sucesso se fortaleceu ainda mais quando a propriedade da família foi convidada a participar do Programa 3S (Soluções para Suprimentos Sustentáveis), desenvolvido pela Cargill e executado pelo Instituto BioSistêmico (IBS). No 3S, as propriedades produtoras de soja passam por um diagnóstico e recebem acompanhamento técnico especializado para desenvolvimento de um plano de ação que busca a melhoria contínua das propriedades assistidas, com foco na sustentabilidade da produção.

Nilson comenta que a partir do Programa 3S foram implementadas melhorias como construção e adequação de estruturas da propriedade, a exemplo dos depósitos de embalagens e de defensivos, alojamento dos funcionários e do posto de abastecimento dos tratores. Além disso, recebeu orientações sobre a importância do uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e da sinalização da fazenda com placas de identificação.

Nilson Aparecido mostra melhoria feita para o armazenamento seguro de combustíveis.

A orientação dos produtores é feita pela equipe técnica do Instituto BioSistêmico, com foco na promoção do desenvolvimento social, econômico e sustentável, garantindo uma produção racional e com melhores resultados, o que impacta positivamente todas as etapas da cadeia produtiva.

Para Nilson, a consultoria prestada pelo IBS no Programa 3S tem sido fundamental para o aperfeiçoamento e concretização das melhorias. “Quem está de fora da porteira consegue enxergar pontos de melhoria em nossa propriedade que muitas vezes nós, que estamos dentro do negócio, ocupados com a lida diária, não conseguimos identificar. Valorizo muito a consultoria, é muito relevante para nosso aprimoramento”, considera.

Benefícios coletivos

Além das melhorias e avanços, o Programa 3S oferece a certificação para as propriedades que atendem aos requisitos de produção sustentável de nível internacional como, por exemplo, desmatamento zero, gestão da emissão de gases de efeito estufa, boas práticas agrícolas e o bem-estar do trabalhador rural.

O produtor que alcança a certificação recebe como prêmio a bonificação sobre a soja fornecida, com acréscimo do valor pago, que é dividido em três categorias: bronze, prata e ouro.


O produtor Nilson Aparecido Forastieri na lavoura de soja da família.

Ao comentar sobre o prêmio concedido pela certificação, Nilson destaca que é um importante incentivo. “A bonificação é revertida para a propriedade, o que impulsiona a implementação de melhorias contínuas, impactando toda a cadeia produtiva”, destaca o produtor.

Sobre o Programa 3S

Desenvolvido pela Cargill com execução do IBS, o 3S é um programa de melhoramento contínuo de sustentabilidade das fazendas produtoras de soja, que permite o produtor melhorar seus indicadores sociais, ambientais e produtivos.

As propriedades que participam do programa, além de diversas questões, cumprem requisitos básicos, como desmatamento zero após 2008, boas práticas agrícolas, bem-estar do trabalhador rural, gestão de gases de efeito estufa (GEE) e melhoramento contínuo dos seus indicadores.

“O Programa 3S, da Cargill, fomenta a implementação de práticas sustentáveis na agricultura e o engajamento do produtor rural é o ponto central dessa ação, tão urgente para toda a sociedade. Nosso objetivo é evoluir nessa jornada em parceria com os produtores rurais, aumentando a produtividade, eficiência e resiliência com a implementação de práticas ainda mais sustentáveis no Brasil”, destaca Ingrid Caron, coordenadora de Sustentabilidade da Cargill.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Voltar ao topo